Batter Up!

O Batter Up! foi mais uma tentativa da Nintendo de querer emular sensações reais com controles originais, algo que só conseguiu se realizar de maneira quase que perfeita na atual geração com o Wii. Na teoria, o Batter Up! é uma boa idéia, nada mais normaljogar games de baseball com um bastão de baseball simulando os movimentos. O problema é que, pelo menos na minha opinião, jogos de baseball para Super Nintendo são um lixo, e fica difícil querer simular toda uma física de arremesso do baseball num jogo 2D. Talvez por isso o aparelho não tenha feito sucesso, e foi esquecido quase que completamente e a quantidade de informações que se tem na internet sobre o mesmo é quase nula.

Games que suportam o Batter Up!:

* Ken Griffey Jr. Presents Major League Baseball, 1994 Nintendo

* Hardball III, 1994 Accolade

* ESPN Baseball Tonight, 1994 Sony Imagesoft

* MLBPA Baseball, 1994 EA Sports

* Super Baseball, 1994 EA Techmo

* Cal Ripken Jr. Baseball, 1992 Mindscape

* Sports Illustrated Championship Football and Baseball, 1993 Malibu Games

* Super Batter Up, 1993 Namco

Satellaview

A Nintendo projetou o Super Nintendo para que recebesse uma possível expansão no futuro. Como o contrato com a Sony não deu certo (que originou o PlayStation), a Nintendo pensou em um periférico novo para aumentar o ciclo de vida do console. Então, em 23 de abril de 1995, o Satellaview, também chamado de BS-X, foi lançado para o Super Nintendo custando 14,000 yen ($150). Ele permitia que jogadores baixassem demos de jogos, novos mapa, jogos totalmente novos, notícias e etc…

O Satellaview se conectava a um satélite digital chamado St GIGA, Bs-5 (BS também é o nome do satélite). O serviço funcionava entre as 16:00 e 19:00 horas, permitindo downloads a escolha do usuário e que eram armezenados em um cartucho de 1MB, além de participar de quizzes, enviar placar de jogos, etc. Esse tempo limitado era causado ao fato de o St GIGA também funcionar como TV e um canal de aúdio. Então, após as 19:00h, voltava-se a programação normal na TV. O sistema funcionou por 5 anos, tendo sido terminado em 30 de junho de 2000.

O cartucho tinha 1 megabit de RAM flash (1 megabit é 1/8 de megabyte). O hardware do Satellaview tinha 512K de memória (que permitia que os jogos do SNES funcionasse melhor), mais 256 Kbit de memória flash e uma ROM de 1-megabit para o sistema operacional. O adaptador mais o cartão era vendido a 4660 yen, ou $50. O Satellaview era vendido a 14.000 yen ($150), como já dito. Havia também uma taxa de inscrição para se conectar ao St GIGA, mas os downloads eram de graça.

Caixa do Satellaview

O aparelho foi muito bem recebido pela indústria e várias empresas prometeram dar suporte ao sistema, mas quem forneceu a maioria dos jogos foram a Nintendo e a Square. Alguns jogos lançandos foram F-Zero 2, Zelda, Excite Bike, Chrono Trigger, Super Mario Bros. 2 (BS Super Mario, que depois foi lançado como Super Mario Advance para Game Boy Advance) entre outros. Na maioria, eram jogos “remixes” que ficavam no ar por um tempo limitado. Quando o serviço foi cancelado, os jogos quase desaparecerem mas, graças a emulação, muitos ainda persistem, podendo serem jogados em emuladores.
Dentre os jogos lançados para o Satellaview, tivemos 3 Zeldas. O primeiro deles era um “remake” do Zelda 1 de NES (parece que há uma quest 2 desse remake, o que tornariam 4 Zeldas ao invés 3, mas não temos confirmação). Outro foi o relançamento do A Link To The Past de graça e inalterado. Por último, mas não menos importante, um Zelda feito usando a mesma engine do A Link To The Past, mas com modificações e história diferente. Esse último é exclusivo desse sistema e, pelo que sabemos, não há planos de relançá-lo (o que é uma pena!).
Hoje em dia, o sistema está inativo, tendo a sua maioria dos jogos encontrados na internet e rodados em emulador.
Para maiores informações, visite veja também esse artigo do NintendOnline(em inglês)

Cartuchos de trapaças

Esses tipos de acessórios nunca foi novidade pra ninguém, qualquer pessoa já teve curiosidade de saber como é jogar com vida infinita, ou apenas não têm paciência pra zerar 100% de um jogo, entã apela pra Cheats. Era pra isso que existia os Cheat Carts pra SNES, sendo os mais notáveis o Game Genie e o Action Replay(imagem acima). Funciona quase do mesmo modo que os adaptadores de NTSC – PAL, você coloca o cartucho no acessório, e depois coloca ele na entrada do aparelho. Apesar de ser lançado para Snes, a Nintendo não aprovou, o que explica a falta do famoso “Seal of Quality” na caixa do aparelho.

As diferenças entre os inúmeros Cheat Carts são poucas, mas existem. Por exemplo, com o Pro Action Replay acha os códigos para você automaticamente, enquanto que no Game Genie eles precisam ser colocados manualmente.

Adaptadores Universais

Com esses acessórios, era possível rodar jogos importados em um Super Nintendo europeu, ou um jogo japonês num Super Nintendo americano.

Exemplo num Super Nintendo europeu:

Basicamente você coloca o adaptador na entrada, e em uma das entradas do adaptador você coloca o jogo americano ou japonês que você quer jogar. Na outra entrada coloca-se um jogo europeu, para que ele possa copiar o código e converter o sinal NTSC 60Hz do americano/japonês para o PAL 50Hz do europeu.  O resultado é um pouco discutível – é possível jogar a maior parte dos jogos, mas eles correm a 50Hz (ou seja, 17,5% mais lento que na versão americana/japonesa) e com duas barras pretas no topo e na base do écran. Na prática, é como jogar um jogo europeu. Há cerca de 15-20 jogos que não funcionam com adaptadores, Super Mario RPG é um deles, já que alguns deles trazem um chip que funciona a 10Mhz, mais rápido que o CPU do SNES, e que não está submisso a este.

Rodando com adaptador

Rodando sem adaptador

Mas as travas impostas nos Super Nintendo são travas físicas, ou seja, com pequenas modificações internas no aparelho é possível rodar qualquer tipo de jogo sem a necessidade de um adaptador, preservando assim a qualidade dos jogos. Existem inclusive sites que fazer esse serviço para você, como esse AQUI.

Vídeos:

Rodando jogos NTSC em um Snes Pal

Super Mario RPG rodando em um Snes Pal

Snes MultiTap

O Super MultiTap é um aparelho que ligado a entrada de um dos controles possibilita que até 4 pessoas possam jogar simultâneamente, tirando é claro o espaço para o segundo player, o que contabiliza até 5 pessoas se matando em tempo real. O Nintendinho já tinha se beneficiado do acessório, então nada mais lógico que o Super Nintendo também poder aproveitar. Mas não foi a Nintendo que desenvolveu o MultiTap para o Snes, e sim a Hudson Soft, empresa desenvolvedora de Bomberman, que, com todas as suas 5 versões, se tornou o principal jogo compatível com o aparelho. Por isso, não é estranho o fato de terem feito um Super MultiTap 2:

Concerteza isso deve ter vendido horrores no Japão.

O combo MultiTap + jogo Super Bomberman saia na casa dos 60 doláres, separado o preço caia pra uns 30 doláres.

Mas não foi só de Bomberman que o MultiTap sobreviveu, 54 jogos foram lançados com suporte ao aparelho, confira abaixo a lista:

*   Barkley: Shut Up and Jam! (4 players)
* Bill Walsh College Football (4 players)
* College Slam (4 players)
* Elite Soccer (4 players)
* ESPN National Hockey Night (? players)
* FIFA International Soccer (4 players)
* FIFA ’96 (4 players)
* Firestriker (4 players)
* Hammerlock Wrestling (4 players)
* Head On Soccer (4 players)
* J-League Soccer (? players)
* Looney Toons B-Ball (4 players)
* Lord of the Rings (4 players)
* Madden ’94 (4 players)
* Madden ’95 (4 players)
* Madden ’96 (4 players)
* Madden ’97 (4 players)
* Micro Machines (4 players)
* Natsume Championship Wrestling (4 players)
* NBA Give ‘n Go (4 players)
* NBA Jam (4 players)
* NBA Jam TE (4 players)
* NBA Live 95 (5 players)
* NBA Live 96 (5 players)
* NBA Live 97 (5 players)
* NCAA Final Four (4 players)
* NCAA Football (4? players)
* NHL ’94 (4 players)
* NHL ’95 (4 players)
* NHL ’96 (4 players)
* NHL ’97 (4 players)
* Olympic Summer Games (5 players)
* Peace Keepers (4 players)
* Pieces (5 players)
* Rap Jam Vol. 1 (4 players)
* Saturday Night Slam Masters (4 players)
* Secret of Mana (3 players)
* Slam Dunk TV Animation (Japanese) (5 players)
* Soccer Shootout (4 players)
* Sporting News: Power Baseball (4 players)
* Sterling Silver: End 2 End (4 players)
* Street Hockey ’95 (4 players)
* Street Racer (4 players)
* Super Bomberman 1 (4 players)
* Super Bomberman 2 (4 players)
* Super Bomberman 3 (5 players)
* Super Bomberman 4 (Japanese) (5 players)
* Super Bomberman 5 (Japanese) (5 players)
* Super Tetris 3 (Japanese) (4 players)
* Tiny Toons Wacky Sports (4 players)
* Virtual Soccer (Japanese) (5 players)
* Top Gear 3000 (4 players)
* WWF Raw (4 players)

Grifados estão os games que eu gostaria de ter jogado com o acessório =p

Super Bomberman rodando com 4 jogadores:

Super Game Boy

Como o nome já dá a entender, o Super Game Boy foi mais um dos acessórios do Snes que tinha como função permitir a jogatina de jogos de Game Boy no Super Nintendo, com suporte a cores, sendo que alguns vinham identificados com o logotipo do Super Game Boy, com as cores já inseridas.

O funcionamento é bem simples e fica explícito na imagem acima: você insere o cartucho de GB no acessório, e coloca-o do mesmo jeito que coloca um cartucho qualquer. Certamente algo animador na época e inútil pra quem já tinha um Game Boy, mas pra quem não tinha e desejava jogar Pokemon no Snes(meu caso =p) era algo bastante desejado. Pelo menos até lançarem os emuladores :O

Pokemon rodando no Super Nintendo

E pra finalizar, mais um comercial bizarro da Nintendo, dessa vez sobre o SGB:

Nintendo Super Scope

O Super Scope, claramente baseado no Zapper lançado para Nintendinho, é uma espécie de bazuca usado em alguns jogos para Super Nintendo. Sem fio e utilizando de 6 pilhas AA, foi considerado uma inovação na época, custando na época aproximadamente 60 doláres junto com o game Super Scope 6. A única reclamação dos fans foi a minúscula quantidade de jogos lançados com suporte a bazuca, mancada por parte da Nintendo.

Zapper, pistolinha do Nintendinho

Atualmente, o jogo Super Smash Bros Melee e Brawl traz referência a arma no jogo, sendo a mesma um item jogável e bastante apelão.

Owned

Owned

Procurei um vídeo de algum maluco jogando com o brinquedo, mas só achei esse comercial nonsense:

Mas ja dá pra ter uma idéia do naipe do negócio.

Lista de jogos compatíveis:

* Battle Clash
* Bazooka Blitzkrieg
* The Hunt for Red October (usada somente em algumas fases de bônus)
* Lamborghini American Challenge (utilizando a Super Scope um modo de jogo diferente do original fica disponível)
* Metal Combat: Falcon’s Revenge
* Operation Thunderbolt
* Super Scope 6 (jogo que acompanhava a Super Scope)
* T2: The Arcade Game
* Tin Star
* X-Zone
* Yoshi’s Safari

Entre outros poucos jogos, como Terminator 2: The Arcade Gam